terça-feira, 31 de dezembro de 2013

FELIZ ANO NOVO

Feliz Ano Novo
feliz2014O ano está acabando, e talvez você esteja dizendo “ Graças a Deus, já vai tarde, não vejo a hora deste ano acabar e começar outro!”
Por isso se você acha que  esse ano não foi tão bom assim para você, vou provar agora que você tem pelo menos 10 motivos para CELEBRAR e agradecer.
Pare agora  e pense nos presentes que você recebeu nesses 365 dias:
  1.  Todos os dias me foram dados, cada dia cheio de novas possibilidades
  2.  Todos os dias tive a oportunidade de maravilhar-me apenas olhando para a Criação
  3.  Todos os  dias fui (e sou) amada por um Deus que é misericordioso e cuida de mim
  4.  Todos os dias recebi  livramentos que mantiveram-me protegida
  5.  Todos os dias fui agraciada com saúde e disposição
  6.  Todos os dias tive (e tenho) ao meu lado a minha família
  7.  Todos os dias tive (e tenho) amigos que estão sempre por perto quando preciso
  8.  Todos os dias vivi muitos momentos de alegria, contentamento, satisfação
  9.  Todos os dias enfrentei  desafios no meu trabalho e na vida  que me tornaram melhor
  10.  Todos os  dias recebi a provisão necessária e até além do que precisei
Peço a Deus que eu receba novamente, MAIS 365 dias e que se vier no pacote de 2014 , pelo menos, os 10 presentes que obtive em 2013 já sei que 2014 será um GRANDE ANO.
No entanto se você desejar que o próximo ano seja EXCEPCIONAL, MEGA BLASTER, e TUDO DE BOM, enumere pelo menos mais 10 situações  em que caberá a VOCÊ construir o seu Presente!
Afinal um Novo Ano, é uma NOVA chance de fazer as coisas de outro jeito, de fazer diferente e  muito melhor.
Comente as suas Resoluções de Ano Novo.
Feliz Ano Novo !

sábado, 21 de dezembro de 2013

CRIANÇAS MIMADAS GERAM ADULTOS FRACASSADOS

Você tem alunos que ” se acham a última bolacha do pacote? ” . E colegas de trabalho dentro da Escola que se acham o ” suprassumo” e que portanto não admitem serem cobrados, orientados ou advertidos, pois sabem demais ?

Recentemente a Revista Época publicou um artigo intitulado ” Por que a Educação moderna criou adultos que se comportam como bebês”, o qual reproduzimos abaixo.
====================================================================
Os alunos do 3º ano de uma das melhores escolas de ensino médio dos Estados Unidos, a Wellesley High School, em Massachusetts, estavam reunidos, numa tarde ensolarada no mês passado, para o momento mais especial de sua vida escolar, a formatura. Com seus chapéus e becas coloridos e pais orgulhosos na plateia, todos se preparavam para ouvir o discurso do professor de inglês David McCullough Jr. Esperavam, como sempre nessas ocasiões, uma ode a seus feitos acadêmicos, esportivos e sociais. O que ouviram do professor, porém, pode ser resumido em quatro palavras: vocês não são especiais. Elas foram repetidas nove vezes em 13 minutos. “Ao contrário do que seus troféus de futebol e seus boletins sugerem, vocês não são especiais”, disse McCullough logo no começo. “Adultos ocupados mimam vocês, os beijam, os confortam, os ensinam, os treinam, os ouvem, os aconselham, os encorajam, os consolam e os encorajam de novo. (…) Assistimos a todos os seus jogos, seus recitais, suas feiras de ciências. Sorrimos quando vocês entram na sala e nos deliciamos a cada tweet seus. Mas não tenham a ideia errada de que vocês são especiais. Porque vocês não são.” 
O que aconteceu nos dias seguintes deixou McCullough atônito. Ao chegar para trabalhar na segunda-feira, notou que havia o dobro da quantidade de e-mails que costumava receber em sua caixa postal. Paravam na rua para cumprimentá-lo. Seu telefone não parava de tocar. Dezenas de repórteres de jornais, revistas, TV e rádio queriam entrevistá-lo. Todos queriam saber mais sobre o professor que teve a coragem de esclarecer que seus alunos não eram o centro do universo. Sem querer, ele tocara num tema que a sociedade estava louca para discutir – mas não tinha coragem. Menos de uma semana depois, McCullough fez a primeira aparição na TV. Teve de explicar que não menosprezava seus jovens alunos, mas julgava necessário alertá-los. “Em 26 anos ensinando adolescentes, pude ver como eles crescem cercados por adultos que os tratam como preciosidades”, disse ele a ÉPOCA. “Mas, para se dar bem daqui para a frente, eles precisam saber que agora estão todos na mesma linha, que nenhum é mais importante que o outro.”
A reação ao discurso do professor McCullough pode parecer apenas mais um desses fenômenos de histeria americanos. Mas a verdade é que ele tocou numa questão que incomoda pais, educadores e empresas no mundo inteiro – a existência de adolescentes e jovens adultos que têm uma percepção totalmente irrealista de si mesmos e de seus talentos. Esses jovens cresceram ouvindo de seus pais e professores que tudo o que faziam era especial e desenvolveram uma autoestima tão exagerada que não conseguem lidar com as frustrações do mundo real. “Muitos pais modernos expressam amor por seus filhos tratando-os como se eles fossem da realeza”, afirma Keith Campbell, psicólogo da Universidade da Geórgia e coautor do livro Narcisism epidemic (Epidemia narcisista), de 2009, sem tradução para o português. “Eles precisam entender que seus filhos são especiais para eles, não para o resto do mundo.”
Em português, inglês ou chinês, esses filhos incensados desde o berço formam a turma do “eu me acho”. Porque se acham mesmo. Eles se acham os melhores alunos (se tiram uma nota ruim, é o professor que não os entende). Eles se acham os mais competentes no trabalho (se recebem críticas, é porque o chefe tem inveja do frescor de seu talento). Eles se acham merecedores de constantes elogios e rápido reconhecimento (se não são promovidos em pouco tempo, a empresa foi injusta em não reconhecer seu valor). Você conhece alguém assim em seu trabalho ou em sua turma de amigos? Boa parte deles, no Brasil e no resto do mundo, foi bem-educada, teve acesso aos melhores colégios, fala outras línguas e, claro, é ligada em tecnologia e competente em seu uso. São bons, é fato. Mas se acham mais do que ótimos.
CAMILA GUIMARÃES E LUIZA KARAM, COM ISABELLA AYUB  – Revista Época
===============================================================
Você concorda que é a Educação moderna que está fazendo com que os jovens se tornem adultos imaturos ? Como você enquanto Educador pode contribuir para evitar que isto aconteça ? Quais ações você desenvolveria na sua sala de aula no relacionamento com seus alunos e quais sugestões você daria aos Pais para promover o amadurecimento dos filhos ?
REPRODUÇÃO DOS CRÉDITOS DA SOS PROFESSOR...

RECUPERAÇÃO ESCOLAR...A CULPA É DE QUEM?




Todo ano é a mesma coisa: alunos brincam, não se dedicam, tratam com descaso os trabalhos a serem apresentados, não estudam e não realizam as tarefas, e então o óbvio acontece:  Reprovação ou então vários alunos de recuperação ! 
Você tem alunos nesta situação? Com certeza deve ter, e muitos. Geralmente no Fundamental II e Ensino Médio o índice de alunos que ficam de recuperação é muito alto. Isso porque, esses alunos praticamente não  recebem acompanhamento da família a respeito da rotina escolar, assim esses jovens ficam a mercê de si mesmos, afinal já são crescidos e a família acredita que não precisam mais serem supervisionados da mesma forma quando estavam no Fundamental I. 
Mas, será que isso é verdade ? Sei que, de tanto os Pais repetirem essa  falácia acabaram acreditando nela e por esta razão quando o filho reprova ou fica de recuperação, a atitude mais óbvia desses Pais  é exigir explicações. De quem? do Professor !

POR QUE MEU FILHO FICOU DE RECUPERAÇÃO ? 
Os Pais sempre acham que foi o Professor que “ deixou” o aluno de recuperação. Nunca param para refletir que, quando os filhos são deixados a mercê de si próprios eles adotam outras prioridades que não são as mesmas dos Pais.  
Como não quero deixar você sem argumentos, aqui estão algumas sugestões que os Pais merecem ouvir quando pedirem explicações do porque o filho está de RECUPERAÇÃO:

. Quem arruma o material escolar do João e garante que ele não esqueça de nada?
. Quem  supervisiona o João quando há trabalhos e tarefas para   entregar?
. Quantas horas por dia o João fica no Facebook ? Skype ? Whatssap? etc
. O João tem rotina diária de Estudos? Quem supervisiona  e acompanha ?
. Quando o João está em período de provas quem organiza a rotina de estudos dele?
. A Sra. sabe quantos trabalhos  o João   não entregou?
. Quais são as tarefas/responsabilidades do João durante o dia?

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

O PAPEL DO LÍDER (EQUIPE DE LIDERANÇA)

A Educação do século XXI está em processo de grandes mudanças priorizando a cooperação, a interação e integração entre alunos/professores/coordenação/direção/pessoal do apoio. 
O laboratório Bristol-Myers Squibb desenvolveu há cinco anos, na matriz americana, o programa Leadership Team Bulding.
A filosofia do Bristol é que todos podem ser líderes[Lidere1.gif]
Segundo o Bristol, um líder:
[Lidere2.gif]
1 – Age com senso de urgência. Estabelece grande expectativa de performance e dá suporte para que todos atinjam os resultados esperados.
[Lidere3.gif]
2 – Considera todos os envolvidos na hora de tomar decisões e em suas ações.
[Lidere4.gif]
3 – Encoraja a colaboração e toma decisões que são melhores para o todo ao invés do focar somente o indivíduo.
[Lidere5.gif]
4 – Cria novas ideias e processos incentivando o grupo a tentar novos caminhos e a assumir riscos.
[Lidere6.gif]
5 – Abraça as mudanças.
[Lidere7.gif]
6 – É pró-ativo em prover oportunidades de desenvolvimento para outros. Dá constante feedback.
[Lidere8.gif]
7 – Compartilha seu ponto de vista e opiniões mesmo quando essas possam ser negativas e impopulares. Encoraja a livre troca de informações e opiniões.
[Lidere9.gif]
8– Está sempre pronto a solicitar ajuda e a ajudar os outros.
[Lidere10.gif]
9 – Respeita opiniões e demonstra sensibilidade às diferenças.
[Lidere11.gif]
10 – Concentra energia no que pode pessoalmente fazer em vez de responsabilizar outros pelas falhas. Não age como vítima
[Lidere12.gif]
11 – Aceita as contribuições que outros dão e as reconhece. Dá créditos às pessoas e às equipes.
 
[Lidere13.gif]
12 – Possui atitude de vencedor. Alimenta a paixão por vencer.
[Lidere14.gif]
13 – Age com ética, respeita os princípios, os valores e os comportamentos.
[Lidere15.gif]
14 – Cria um ambiente de confiança, harmonia e aprendizado.
Fonte: Você S. A

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

OS SETE PECADOS QUE COMPROMETEM O SUCESSO DE UMA EQUIPE

Com uma brincadeira bem humorada se pode enfocar quais os sete pecados capitais que podem comprometer o sucesso do trabalho em equipe.
OS SETE PECADOS CAPITAIS DAS EQUIPES[7PecadosEquipe1.gif]
1º PECADO
 “Espelho, espelho meu, existe alguém mais genial do que eu?” Ocorre quando alguém se acha estrela do time.[7PecadosEquipe2.gif]
2º PECADO
 “Guerra das Estrelas”. O que não falta nesse time são estrelas.[7PecadosEquipe3.gif]
3º PECADO
 “Os Três Mosqueteiros”. Versão reduzida em vez do famoso um por todos, todos por um, nesse grupo só acontece o todos por um. O líder só está interessado nos próprios objetivos.[7PecadosEquipe4.gif]
4º PECADO
 “Síndrome do Pinóquio”: Alguém mais acredita no que o líder fala? Ele(a) perdeu completamente a credibilidade.[7PecadosEquipe5.gif]
5º PECADO
 “Os Cavaleiros da Idade Média”. No passado, 
eles usavam armaduras por razões de segurança. Numa equipe, esse líder é o líder que se protege tanto a ponto de se tornar inatingível.
[7PecadosEquipe6.gif]
6º PECADO
 “Os Adeptos de Noé” não é comigo: vale para líderes e membros de equipe que não assumem responsabilidades.[7PecadosEquipe7.gif]
7º PECADO
– “Missão Impossível:” É típico das equipes que não acreditam que podem atingir os objetivos
Fonte: Você S. A